Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘alimentação’

524940_505510216157653_764862235_n

Read Full Post »

A indústria de café viveu uma grande dúvida nos últimos anos. Como ficaria a participação do café no cardápio diário dos consumidores brasileiros, tendo em vista o crescimento de outros segmentos, como refrigerantes, sucos concentrados, bebidas à base de soja e outros produtos prontos para beber?

mulher-tomando-cafe-pensando-vida-bf-130-7523

A mais recente pesquisa animou o setor. O café está em 95% dos lares brasileiros durante o café da manhã, um percentual superior ao dos anos anteriores, mostra pesquisa da Kantar Worldpanel. A Abic (Associação Brasileira da Indústria de Café) constatou, também, que o consumo diário médio de café subiu para o recorde de quatro xícaras por dia no Brasil, acima do de Itália, França e Estados Unidos, tradicionais consumidores.

O avanço do consumo, que deverá chegar a 21 milhões de sacas neste ano, ocorre porque a tecnologia colocou o café em todos os lugares, da loja de sapato à joalheria, diz Nathan Herszkowicz, diretor-executivo da Abic. Esse crescimento de consumo no lar e fora do lar faz com que o setor tenha evolução de 3,5% ao ano, uma taxa superior à do PIB (Produto Interno Bruto) e à da taxa da população, diz ele. As pesquisas da Abic indicam que o aumento de consumo é generalizado e vem também das classe C e D.  Outra constatação é que o consumidor está mais exigente e que, mesmo “controlando” preços, quer um produto de melhor qualidade. O café extraforte, o de melhor relação custo-benefício, perde espaço, enquanto cresce a procura por produto que ofereça mais qualidade.

O programa de qualidade da Abic monitora atualmente 476 marcas de café. Dessas, 115 são produtos classificados como gourmet, e 108, de qualidade superior. Em 2000, as marcas eram voltadas só para café tradicional, sem essa diferenciação de qualidade. Américo Sato, presidente da Abic, diz que a indústria já percebeu essa nova exigência dos consumidores e está intensificando os investimentos, principalmente na compra de equipamentos. A indústria investe mais, buscando inovação e diferenciação, e quer recuperar o valor perdido nas últimas década, diz Herszkowicz. (Folha, 7/2)

Read Full Post »

rethink-your-drink

A imagem acima compara a quantidade de açucar encontrada em diferentes bebidas. O melhor e mais saudável, claro, é a água. Mas, se você, como eu, gosta de ter um sabor na sua bebida, porque não adicionar algumas rodelas de limão ou outra fruta qualquer à água?

Olhem esse aí embaixo! Fácil de preparar e você só precisa de frutas frescas (vai sair mais barato do que comprar refri também!): pêssego, kiwi, limão siciliano e framboesas, além da boa e velha água. Você faz em casa e escapa do açúcar industrializado ou dos perigosos adoçantes artificiais, trocando-os pela frutose.

drinks

Eu, particularmente, gosto muito de fazer o seguinte também: água com gás, gelo, rodelas de limão tahiti e limão siciliano e meio de cada espremido! Com esse calor então…

Deu no PositiveMed.

Read Full Post »

convite_narbal_livro

Read Full Post »

Dia 16 de outubro é o Dia Mundial da Alimentação e em uma ação realizada no início daquele mês, em Porto Alegre, trocaram os pratos tradicionais do buffet de um restaurante de grande fluxo por outros, 20% menores – nos quais, literalmente, faltava um pedaço! A ideia era chamar a atenção para os 20% de alimentos que são desperdiçados diariamente no Brasil, o país campeão mundial no índice. Sem falar que, com a aumento da obesidade e sobrepeso nas pessoas de vários países, incluindo o Brasil, cortar 2o% do que se põe no prato também fará um grande bem, que se estende ao bolso!!!

Read Full Post »

O que colocamos no prato exerce grande influência a curto e a longo prazo no processo de aprendizado e memorização. Estudantes que estão prestes a entrar na maratona dos vestibulares podem ter na alimentação uma poderosa aliada. Saiba como:

1- Priorize o café da manhã,  o benefício já começa cedo pela manhã, ao garantir nutrientes importantes para a capacidade cerebral.  Inclua sempre um cereal integral como aveia em flocos, quinua, amaranto, pães integrais, que oferecem as vitaminas do complexo B capaz de melhorar a função cognitiva. Os carboidratos integrais de modo geral ajudam a manter a glicemia (açúcar no sangue) controlada, e a glicose é a principal fonte de energia do cérebro

2- Inclua ovo mexido, omelete ou panqueca no desjejum. O ovo é rico em colina,  precursora da síntese de acetilcolina, um neurotransmissor associado com a função cognitiva e memória. O ovo deve estar presente principalmente no jantar da véspera da prova e no café da manhã antes de sair de casa

3-  Alimentação fracionada – de 3 em 3 horas – ajuda a manter a glicemia (açúcar no sangue) dentro da normalidade, favorecendo a circulação e “alimentação do cérebro”

4-  Opções para incluir nos lanches intermediários (manhã ou tarde)

– Frutas frescas (melão, melancia, manga, uva, goiaba, mamão)
– Frutas oleaginosas (castanhas, nozes, avelã, macadâmia), são ricas em zinco, um mineral que contribui contra a aceleração do envelhecimento do cérebro
– Ovo de codorna temperado com azeite  ou partido dentro de um sanduíche. O ovo de codorna também é fonte de colina
– Sementes de abóbora ou girassol: são boas fontes de magnésio, que ajuda a controlar a ansiedade, tão característica nessa fase

5- Entre as refeições e antes de estudar tome uma xícara de chá verde. As catequinas presentes no chá  têm forte ação antioxidante e  propriedades que atuam no sistema nervoso central. O efeito benéfico na memória pode ser também atribuído à cafeína presente no chá, que ajuda a melhorar a concentração e atenção, contribuindo com o  aprendizado e registro de informações. No dia da prova leve o chá verde gelado numa garrafinha

6- Outra opção: chá mate batido com um pouco de açúcar, gelo e limão. Além do efeito da cafeína, o limão é fonte de vitamina C, que ajuda a combater a fadiga e o cansaço, além de hidratar e refrescar nos dias quentes

7- Evite refeições volumosas. O excesso de alimento reduz a capacidade de concentração porque grande parte da circulação sanguínea volta-se ao trato digestivo, reduzindo a oxigenação cerebral. Por isso, refeições leves são mais indicadas às vésperas de provas, com alimentos de fácil digestão (frutas, legumes, verduras, carnes grelhadas, cereais integrais)

8- Evitar alimentos calmantes (maça, alface, maracujá, camomila, erva cidreira, melissa) antes de concentrar-se nos estudos. Esses alimentos são mais indicados antes de dormir, já que relaxam e induzem ao sono

9- Aumente o consumo de peixes, principalmente aqueles que são fontes de ômega 3 (salmão, cavala, arenque, salmão, atum e a sardinha). A presença de ômega 3  na dieta  favorece o aprendizado e memorização

10-  Precisamos lembrar que o cérebro  tem grande quantidade de gorduras. Os ácidos graxos poli-insaturados regulam a energia na região cerebral e são componentes da estrutura das células nervosas e da bainha de mielina, que auxilia na rapidez com que as informações são transmitidas de uma célula para a outra.  Assim, as gorduras boas são importantes: azeite de oliva, abacate, frutas oleaginosas e o óleo de canola e a linhaça (óleo ou semente)

11- Temperos como alecrim e cúrcuma (açafrão da terra) também trazem benefícios. O alecrim ajuda a melhorar a disposição e estado de alerta, e o açafrão protege os neurônios. Pode-se temperar com o açafrão legumes e frango, como também colocar na finalização do arroz e na elaboração de molhos. O alecrim dá um sabor especial no ovo mexido ou no omelete

12- Aqui vai uma boa notícia:  chocolate meio amargo (50- 70% de cacau) é uma excelente opção. Sem exagero, claro. Uma unidade pequena, aproximadamente 30 gramas já é suficiente.  O cacau melhora a função cognitiva. Pode-se também colocar o cacau em pó em vitaminas, sucos e salpicar nas frutas ou cereais. (Veja.com.br, 6/11)

Read Full Post »

Read Full Post »

Older Posts »