Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘prevenção’

image_1

Divulgando casos, debatendo o assunto, priorizando a discussão: a Abrasco aderiu ao Setembro Amarelo – uma campanha, criada em 2014, que busca conscientizar sobre a prevenção do suicídio, um problema de saúde pública que vive atualmente a situação do tabu e do aumento de suas vítimas.

Falar é a melhor solução no combate ao estigma do tema: a cada 45 minutos um brasileiro tira a própria vida e a cada 40 segundos uma pessoa morre vítima de suicídio no mundo, totalizando, mundialmente, em mais de 1 milhão por ano e superando os números de mortos por homicídio e guerras juntos.

Ainda sim, somos o 8º país no mundo em números absolutos de suicídios consumados e 17% das pessoas no Brasil já pensaram em se matar em algum momento da vida.

Com dados tão alarmantes, a necessidade de divulgação tornou-se uma questão de saúde pública e dever social. Participe da campanha, saiba mais Aqui.

Read Full Post »

É inaceitável a intenção do governo de abdicar da consolidação da rede pública e apostar no avanço de planos de saúde ineficientes

Ligia Bahia

Ligia Bahia

O desmonte final do Sistema Único de Saúde (SUS) vem sendo negociado a portas fechadas, em encontros da presidente Dilma Rousseff com donos de planos de saúde, entre eles financiadores da campanha presidencial de 2010 e sócios do capital estrangeiro, que acaba de atracar faminto nesse mercado nacional. Na pauta, a chave da porta de um negócio bilionário, que são os planos de saúde baratos no preço e medíocres na cobertura, sob encomenda para estratos de trabalhadores em ascensão.

Adiantado pela Folha (“Cotidiano”, 27/2), o pacote de medidas que prevê redução de impostos e subsídios para expandir a assistência médica suplementar é um golpe contra o SUS ainda mais ardiloso que a decisão do governo de negar o comprometimento de pelo menos 10% do Orçamento da União para a saúde.

A proposta é uma extorsão. Cidadãos e empregadores, além de contribuir com impostos, serão convocados a pagar novamente por um serviço ruim, que julgam melhor que o oferecido pela rede pública, a que todos têm direito. Em nome da limitada capacidade do SUS, o que se propõe é transferir recursos públicos para fundos de investimentos privados.

SUS é uma reforma incompleta, pois o gasto público com saúde é insuficiente para um sistema de cobertura universal e atendimento integral. Isso resulta em carência de profissionais, baixa resolutividade da rede básica de serviços e péssimo atendimento à população.

Luis Eugenio Portela

Luis Eugenio Portela

Nos delírios de marqueteiros e empresários alçados pelo governo à condição de formuladores de políticas, o plano de saúde surgiria como “miragem” para a nova classe média, renderia a “marca” da gestão e muitos votos em 2014.

Pois o mercado que se quer expandir com empurrão do erário não é exatamente um oásis no meio do SUS. Autorizados pela agência reguladora, proliferam planos de saúde pobres para pobres, substitutivos “meia-boca” do que deveria ser coberto pelo regime universal.

Na vida real, são prazos de atendimento não cumpridos, poucos especialistas por causa de honorários ridículos, número insuficiente de serviços diagnósticos e de leitos, inclusive de UTI, negativas de tratamentos de câncer, de doenças cardíacas e transtornos mentais, redes reduzidas que impedem o direito de escolha e geram longas filas e imposição de barreiras de acesso, como triagens e autorizações prévias.

Quem tem plano de saúde conhece bem esse calvário.

Mário Scheffer

Mário Scheffer

Limitados pelos contratos, dirigidos a jovens sadios e formalmente empregados, os planos de saúde não aliviam nem desoneram o SUS, pois fogem da atenção mais cara e qualificada. Não são adequados para assistir idosos e doentes crônicos, cada vez mais numerosos. Assim, os serviços públicos funcionam como retaguarda, uma espécie de resseguro da assistência suplementar excludente.

Nos Estados Unidos, a reforma de Obama enquadra os planos privados e tenta colocar nos trilhos o sistema mais caro e desigual do mundo. País de recursos escassos, se delegar o futuro a quem visa o lucro com a doença, o Brasil seguirá é o caminho da Colômbia, que vive um colapso na saúde.

É inaceitável, em uma sociedade democrática, a intenção do governo de abdicar da consolidação do SUS, de insistir no subfinanciamento público e apostar no avanço de um modelo privado, estratificado, caro e ineficiente.

O Movimento Sanitário, o Conselho Nacional de Saúde, o Congresso Nacional, o Ministério Público e o Supremo Tribunal Federal precisam se manifestar sobre esse despropósito inconstitucional.

Ligia Bahia, professora do Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro

Luis Eugenio Portela, professor da Universidade Federal da Bahia e presidente da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco)

Mário Scheffer, professor do Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP)

Read Full Post »

A costureira Ivanete Alencar, 62 anos, fez esta semana mais um exame preventivo contra o câncer de colo de útero no posto de saúde do Bairro Itacorubi, na Capital. Na terça-feira, o projeto que atende Ivanete e outras mulheres da região foi reconhecido.

A iniciativa saiu vencedora entre 83 propostas e levou o Prêmio Boa Prática, promovido pela Secretaria Municipal de Saúde. Foram 52 selecionados por uma comissão julgadora formada por especialistas no tema. Entre eles, representantes Ministério Público Estadual, da Universidade Federal de SC (UFSC), do Núcleo Estadual do Ministério da Saúde em SC. – Que bom que podemos fazer os exames em um posto de saúde sem a necessidade de pagar – diz.

O projeto inclui mulheres de 25 a 65 anos. De acordo com técnicos, algumas mesmo com mais idade, contam nunca ter feito exames preventivos. Além disso, os exames podem ser feitos todos os dias, diferente de outros postos onde a consulta ocorre com calendário fixado.

Objetivo é manter a iniciativa na nova gestão municipal

Esta foi a primeira 1a edição do Prêmio de Boas Práticas em Saúde – Caminhos para uma transição governamental adequada. Trata-se de um reconhecimento publico às equipes ou profissionais que trabalham para melhorar a vida das pessoas em Florianópolis. Para ser inscrito, a prática tinha que existir há pelo menos dois meses.

A ideia, explica Edenice Reis da Silveira, gerente de planos, metas e políticas de saúde da Secretaria Municipal de Saúde de Florianópolis, é que a premiação seja realizada anualmente, a exemplo de Portugal, que já está na 6a edição. A cada edição do prêmio haverá um tema. O deste ano fez parte de uma estratégia: – Estamos numa troca de administração e a intenção é fortalecer essas práticas para que elas tenham continuidade independente das gestões.

O trabalho vencedor deste ano é assinado por Luciana Cristina dos Santos, Evelise Ribeiro Gonçalves, Cléia Maria dos Santos, Simone Antunes Macedo e Paulo Bittencourt. (DC, 9/12)

Read Full Post »

Read Full Post »

A parceria entre a TopMed e a equipe Ivana Henn fica no ar de 10 a 30 de novembro, e vai sortear, exclusivamente, pelo Twitter uma bola suíça, um curso de Pilates em DVD e ainda uma camiseta autografada pela professora, empresária e atleta que foi 29 vezes recordista brasileira de Marcha Atlética. Para participar, é preciso seguir @topmedsaude e @ivanahenn no Twitter, além de dar RT da frase que anuncia a promoção.

O sorteio será realizado no dia 30, às 14, pela agência de mídia digital Publish New Media. “Esta é mais uma campanha com foco no estímulo à adoção de hábitos saudáveis. Já sorteamos através das redes sociais, somente este ano, uma bicicleta com 21 marchas, uma bike dobrável, um livro de receitas, camisetas do Câncer de Mama no Alvo da Moda, um mês de acesso ao serviço Saúde 24H e, agora, vamos dar ao vencedor equipamento e conteúdo para que pratique Pilates em casa mesmo, no horário que mais convier. Para a TopMed, mais do que atrair seguidores, o mérito da campanha será motivar mais pessoas a praticarem exercícios regularmente”, avalia a diretora de marketing da empresa, Renata Zobaran.

Ivana Henn

Sócia da maior rede de Pilates do Brasil, Ivana Henn comanda hoje 11 estúdios próprios, a academia TopOne em Florianópolis, uma equipe de personal training com 161 alunos e 18 profissionais, um site de venda de produtos para Pilates, o programa de TV Saber Viver, exibido pela TVCom e, como se não bastasse, uma grande equipe que atua na formação de professores de Pilates, suspension training e plataforma vibratória, o que levou cerca de 150 estúdios de Pilates a utilizarem a bandeira Ivana Henn, no Brasil e no exterior. “Eu realmente acredito que todos possam exercitar o seu corpo em qualquer lugar, e com isso melhorar a sua qualidade de vida. Ao cultivar o movimento automaticamente cultivamos uma vida saudável”, ensina a estrela do DVD a ser sorteado, Ivana Henn.

Read Full Post »

Academia pública ao ar livre na Rua Dom João Becker, Ingleses

A empresa catarinense de promoção da Saúde TopMed, que já instalou 25 academias ao ar livre em oito municípios catarinenses, anunciou a entrega de mais uma Academia da Saúde em Florianópolis. A partir de hoje, uma nova academia ao ar livre estará à disposição da comunidade na rua Dom João Becker, junto à Praça Professor Manoel Emidio Silveira.

Instaladas em contrato de comodato com as prefeituras, as academias TopMed ganharam inclusive repercussão na mídia nacional, na ocasião em que foi entregue um espaço inédito de lazer e Saúde na Beira-Mar Norte, com equipamentos ergonomicamente adaptados para crianças e cadeirantes. Outro diferencial das academias TopMed é que, através de uma parceria com a Fundação Municipal de Esportes, a maioria conta com a presença de monitores de educação física, em horários previamente definidos, para orientar os freqüentadores.

Os hábitos saudáveis, e isso inclui a prática regular de atividade física, são os maiores aliados da população no controle da obesidade e das diversas doenças que se originam do excesso de peso.

Dos óbitos ocasionados por doenças crônicas, como hipertensão, diabetes, doenças respiratórias e o câncer, 80% são motivados pelos mesmos fatores de risco: o alcoolismo, o sedentarismo, o tabagismo e a alimentação inadequada. “Mais do que ajudar a reverter, a longo prazo, o preocupante quadro das doenças crônicas não-transmissíveis no país, a atividade física traz benefícios imediatos à Saúde: melhora o sistema imunológico, o fôlego, a qualidade do sono, a postura, ajuda na perda de peso e facilita o controle da hipertensão arterial, colesterol ou triglicerídeo e diabetes, reduzindo, inclusive, a utilização de medicamentos de uso continuado”, explica a médica Renata Zobaran.

A academia nos Ingleses é composta por alongador, multiexercitador, surf, rotação dupla diagonal, esqui, simulador de caminhada, simulador de cavalgada, remada sentada, rotação vertical, e pressão de pernas. Para instalar as academias, a TopMed estabelece uma parceria com as prefeituras municipais, a fim de que cedam um terreno que respeite uma série de requisitos, como segurança, iluminação noturna, estacionamento próximo, fácil acesso, condição mínima de qualidade do ar e poluição sonora controlada.

Academias ao ar livre em Florianópolis

Beira-Mar Norte – junto ao trapiche

Beira-Mar Norte – junto à estação da Casan

Beira-Mar Norte – Praça Celso Ramos

Beira-Mar Sul – Costeira de Pirajubaé

Bairro Santa Mônica – Associação Comunitária ACOJAR

Parque Ecológico do Córrego Grande – Horto Florestal

Bairro Parque São Jorge – Praça José Elias

Trindade – Praça Santos Dumont

Saco dos Limões – Praça Abdon Batista

Rio Tavares – anexo à Policlínica

Canasvieiras – rotatória de acesso ao bairro

Jurerê Internacional – esquina Av. dos Búzios com Av. das Raias

Jurerê – Praça Santa Luzia

Ingleses – Praça Professor Manoel Emidio Silveira, na rua Dom João Becker

Morro das Pedras – Associação Comunitária

Coqueiros – Av. Engenheiro Max de Souza, 789

Estreito – Praça Nossa Senhora de Fátima

Capoeiras – Centro Comunitário

Balneário – Praça Renato Ramos da Silva

Academias em outras cidades do Estado

São José – Avenida Beira-Mar

Palhoça – Av. dos Lagos, no bairro Pedras Brancas

Ouro – Rua 7 de Abril, 2350

Caçador – Parque Central José Rossi Adami 

São Miguel D´Oeste – Praça Belarmino Annoni

Gaspar – Centro Integrado de Eventos

Blumenau – Praça das Gaitas Hering

Orientações básicas para a prática de exercícios:

– Consulte sempre seu médico antes de iniciar atividades físicas e procure ter o acompanhamento de um educador físico;

– Fazer exercícios deve proporcionar prazer. Não encare o “treino” como um desafio a ser vencido nem tente acompanhar colegas mais treinados;

– Ao tentar se proteger do frio, no Inverno, evite casacos de nylon. Tecidos que “não respiram” podem fazer com que o sangue chegue muito quente ao cérebro;

– Nunca pare de repente. Diminuo o ritmo dos exercícios gradualmente, para desacelerar aos poucos o batimento cardíaco;

– Pratique exercícios ao menos três vezes por semana. Faça da atividade física um hábito;

– Cerca de 60% do corpo humano é constituído por líquidos. Por isso, hidrate-se antes, durante e após a atividade física, para recompor o que é perdido através do suor;

– Na fase de adesão aos exercícios, é comum sentir desconforto muscular no dia seguinte. Faz parte do processo temporário de adaptação e não é motivo para desistência;

– Use filtro solar sempre que for praticar esportes ou exercícios ao ar livre;

Read Full Post »

Adilson Bernardino, médico

O Ministério da Saúde lançou recentemente um Plano de Ações para Enfrentamento das Doenças Crônicas Não-transmissíveis (DCNT). Ao longo dos próximos 10 anos, o Plano se propõe a ser a resposta do Brasil a uma preocupação comum em todo o mundo: estima-se que 63% das mortes, atualmente, ocorram por DCNT. A taxa de mortalidade prematura, ou seja, de óbitos antes dos 70 anos motivados por DCNT, é de 255 a cada grupo de 100 mil habitantes. O consenso mundial é que poderia ser reduzida para 196 por 100 mil.

No Brasil, as Doenças Crônicas Não-transmissíveis que mais matam são as doenças cardiovasculares (31,3%), o câncer (16,2%), as doenças respiratórias crônicas (5,8%) e o diabetes mellitus (5,2%). Por isso, os quatro fatores de risco com maior influência no aparecimento destas doenças serão combatidos de forma prioritária até 2022: o tabagismo, o consumo abusivo de álcool, a inatividade física e a alimentação não-saudável.

As informações são do Secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, dr. Jarbas Barbosa, que em recente entrevista ao portal TopMed destacou uma mudança evidente no conceito de Saúde. Segundo ele, “a concepção moderna é de que não basta aumentar anos de vida, é preciso aumentar anos saudáveis de vida, e para isso a promoção da Saúde tem que começar cedo”. A colocação do Secretário vem precisamente ao encontro do que defendemos: que cada cidadão deve ter acesso à informação e às ferramentas necessárias para, de forma autônoma e crescente, cuidar da própria Saúde. E isso significa agir antes da manifestação da doença.

No livro “Repensando a Saúde, Estratégias para melhorar a qualidade e reduzir os custos”, os autores apresentam o novo Ciclo de Atendimento à Saúde, onde a Saúde precede a assistência. Para Michael Porter, doutor de economia pela Universidade de Harvard, e Elizabeth Olmsted Teisberg, pós-doutora pela Universidade da Virginia, é latente a necessidade de se medir e minimizar o risco de doenças, oferecer um gerenciamento abrangente de doenças e disponibilizar serviços de prevenção para todos os clientes, inclusive os saudáveis.

Neste escopo, segundo os autores-especialistas, a Saúde não pode envolver meramente a Assistência, mas sim a Preparação para o serviço (que aumenta a eficiência da cadeia de valor), a Intervenção, a Recuperação, o Monitoramento/Gerenciamento da condição clínica, a Promoção ao Acesso, a Mensuração de Resultados, e, por fim, a disseminação da informação. O argumento parte da comprovação de que, a cada dólar investido em prevenção e gerenciamento de doenças crônicas, o retorno é de US$ 2,9, ou seja, um benefício de quase 3 por 1.

A promoção da Saúde, como aliada imprescindível da assistência, foi alçada à condição de oferta obrigatória à sociedade. E o Brasil, felizmente, tem acompanhado a evolução mundial neste sentido. A TopMed orgulha-se de ser precursora nesta nova forma de se “tratar” a Saúde, com uma atuação centrada em ações capazes de evitar as doenças ou o agravamento das mesmas. Em todo o mundo, ainda existem divergências sobre o percentual ideal de investimento em promoção da Saúde, em comparação ao volume destinado à assistência. Apesar desta conta ser complexa e flexível, uma certeza, pelo menos, já é consenso: cada vez mais é necessário investir recursos para evitar que as pessoas adoeçam. A prevenção não é um custo e sim um investimento com lucro certo.

Read Full Post »

Older Posts »