Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘saúde do trabalhador’

Lio Marcos MarinO Procurador-Geral de Justiça do Estado de Santa Catarina, Lio Marcos Marin foi eleito com 235 votos para mais um mandato à frente do MPSC. O oponente, o ex-PGJ Gercino Gerson Gomes Neto recebeu 166 votos, uma diferença de 69 votos a menos. A eleição para o cargo de chefe do Ministério Público de Santa Catarina ocorreu sexta-feira passada e 399 dos 405 Procuradores e Promotores de Justiça aptos a votar compareceram.

O resultado da votação será remetido ao Colégio de Procuradores de Justiça na próxima quarta-feira. O Colégio decidirá sobre eventuais recursos e homologará o resultado da votação, que encaminhará por ofício a lista ao Governador do Estado.

Por força constitucional, o governador catarinense terá 15 dias para nomear o Procurador-Geral de Justiça (art. 128, 3º, CF). Caso o Governador não se manifeste neste prazo, será nomeado para o cargo o membro do Ministério Público que obteve o maior número de votos na eleição para a lista tríplice, conforme prevê a Lei Orgânica do Ministério Público. O mandato é para o biênio 2013/2015.

Paralelamente, o SIMPE-SC (Sindicato dos Servidores do Ministério Público/SC) realizou uma votação entre os servidores que não podem votar nas eleições oficiais. O resultado, dentre os que participaram da votação ficou assim: 75,26% preferiram o candidato Lio Marin, 19,35%, Gercino Gomes e 5,37% anularam o voto.

Read Full Post »

A Fundação Escola de Governo – ENA Brasil, com o apoio da Secretaria de Estado da Administração e dando continuidade às iniciativas do grupo Santa Catarina Acessível, informa que será realizado hoje, a partir das 10 horas, com duração de cerca de 2 horas, o curso “Acessibilidade: o direito de ir, vir e participar – obrigações jurídicas e administrativas de Gestores Públicos”, por webconferência, especialmente voltado aos funcionários do Estado e das Prefeituras envolvidos com a análise e a fiscalização de projetos de arquitetura e engenharia. O curso poderá ser assistido em todas as Secretarias de Desenvolvimento Regional de SC (clique para ver os endereços) ou pelo link http://200.19.195.3:8080/tvsc. A participação no chat poderá ser feita pelo link http://200.19.215.134/chat.

Convite - Webconferência

Read Full Post »

Às vezes sentimos raiva ou aflição no trabalho e perdemos a compostura, falando rispidamente com os colegas ou querendo chorar. Como controlar os sentimentos antes de agir?

“Quando perdemos o controle emocional, é difícil recuar um passo e ver o que está realmente acontecendo”, diz Lynn Friedman, psicanalista e consultora de carreiras em Washington. Ao sentir uma reação intensa no trabalho, pergunte a si mesmo se a reação é realista e justificável. Às vezes o que está motivando esses sentimentos guarda pouca relação com o momento.

Em vez de reagir na hora, dê algum tempo para você mesmo, dizendo: “Preciso refletir. Podemos voltar ao assunto dentro de um ou dois dias?” Então procure analisar o mais objetivamente possível o que causou o aborrecimento. “Se, por exemplo, você está decepcionado com uma decisão que afeta um projeto seu, pense sobre a razão que pode ter motivado a decisão”, recomenda Friedman.

Suas reações podem até estar ligadas à sua infância. Fazer essas conexões pode ajudá-lo a reconhecer seus gatilhos e controlar suas respostas.

Deborah Grayson Riegel, fundadora da Elevated Training, de Hewlett, Nova York, diz que anotar seus sentimentos e pensamentos pode ajudar a desabafar. Além disso, você pode querer compartilhar com alguém aquilo que escreveu. Reprimir sentimentos como raiva, frustração ou tristeza afeta o desempenho no trabalho? “Sim. Evitamos expressar emoções no trabalho, contorcendo-nos de várias maneiras, o que gera uma quantidade enorme de estresse”, diz a terapeuta Karen Steinberg, de Nova York.

Segundo ela, a repressão frustra a criatividade, porque a energia que poderia ser empregada para pensar criativamente é “desviada para ajudar você a lidar com o chefe ou administrar a situação”. Quando você conserva emoções fortes reprimidas, não pensa com tanta clareza quanto quando está calmo, diz Riegel. “Você não é capaz de fazer bons julgamentos. Pode apresentar uma reação física, também.”

Para Aubrey Daniels, psicóloga da consultoria gerencial Aubrey Daniels International, embora você possa pensar que está conseguindo conter bem seus sentimentos, eles geralmente transparecem de outras maneiras, quer seja em suas expressões faciais, nos comentários que você faz ou em sua atitude. Existem maneiras aceitáveis de expressar sentimentos negativos no trabalho?

Para Lynn Friedman, é mais uma questão de timing do que qualquer outra coisa. Se possível, dê-se um dia para refletir sobre o que o está incomodando. Quando você for falar com seu chefe ou seus colegas, utilize o mesmo tipo de linguagem que eles estão usando. Ser emotivo -demonstrar agitação visível, ficar corado ou levantar a voz geralmente é visto como pouco profissional. Por isso, é recomendável que a pessoa se dê um tempo para acalmar por completo antes de falar com um gerente ou com colegas de trabalho. (Deu no New York Times, 24/10)

Read Full Post »

Read Full Post »

Read Full Post »

Read Full Post »

Read Full Post »

Older Posts »